sexta-feira, 15 de julho de 2016

MPF/AC emite recomendações sobre o Programa Minha Casa Minha Vida.

Documento orienta suspensão de todo o processo de distribuição de casas enquanto não houver adequação às regras do Ministério das Cidades

O Ministério Público Federal no Acre (MPF/AC) emitiu três recomendações relativas ao processo de seleção e indicação de beneficiários e à execução do “Programa Minha Casa Minha Vida”(PMCMV) no Acre. As recomendações foram enviadas à Secretaria Nacional de Habitação, à Secretaria de Estado de Habitação e Interesse Social (SEHAB) e às instituições financeiras ligadas ao programa – Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

As recomendações foram expedidas após a apuração em inquérito civil, em trâmite no Ministério Público Federal, da falta de transparência e de publicidade adequadas no procedimento de seleção e indicação de beneficiários no “Programa Minha Casa Minha Vida”(PMCMV), bem como da existência de indícios de irregularidades e fraudes na condução do programa, em especial do não cumprimento das normativas que estabelecem os procedimentos e critérios a serem obrigatoriamente observados durante a seleção e indicação de beneficiários.

Segundo os documentos, assinados pelo procurador regional dos direitos do cidadão, Luiz Gustavo Mantovani, os atuais critérios aplicados no processo de seleção e credenciamento dos beneficiários devem ser imediatamente adequados ao disposto na Portaria nº 163/2016 do Ministério das Cidades, a fim de  atender aos critérios de impessoalidade, publicidade e de favorecer ao controle social, evitando, assim, a prática de fraudes ou irregularidades na seleção e indicação de beneficiários.

À SEHAB, foi recomendado que suspenda todas as atividades, sob sua responsabilidade, relativas ao procedimento de seleção de beneficiários do PMCMV nos empreendimentos realizados pelo Estado do Acre, conduzidas de acordo com as regras das antigas Portarias n. 140/2010, 610/2011, 595/2013 e 412/2015 do Ministério das Cidades, até a completa adequação do estado aos procedimentos previstos na atual Portaria n. 163/2016 do Ministério das Cidades.

Além disso, entre diversas outras ações, a SEHAB também deverá adotar medidas que promovam a transparência, a publicidade e o controle social dos procedimentos, por meio de diversas providências, como a publicação de edital de chamamento para a inscrição e atualização de dados dos interessados em fazer parte do Cadastro Estadual de Habitação, em conformidade com as regras atuais do programa; a divulgação completa, em meios físicos e eletrônicos dos candidatos inscritos e dos beneficiários selecionados no estado; a submissão do Cadastro Estadual de Habitação à fiscalização periódica do Conselho Estadual de Habitação.

À Secretaria Nacional de Habitação foi recomendado que suspenda imediatamente a contratação e a liberação de recursos para novas unidades habitacionais para a execução do Programa Minha Casa, Minha Vida – PMCMV nos empreendimentos conduzidos pelo Estado do Acre, até a comprovação de que o ente estadual se adequou integralmente ao disposto na Lei n. 11.977/2009 e na atual Portaria 163/2016 do Ministério das Cidades, em especial aos princípios constitucionais da publicidade, legalidade, impessoalidade e moralidade.

Às instituições financeiras envolvidas no programa foi recomendado que as atividades, sob sua responsabilidade, relativas ao procedimento de seleção e indicação de beneficiários do Programa Minha Casa, Minha Vida – PMCMV, nos empreendimentos realizados no estado do Acre, sejam igualmente suspensas até a comprovação de que o ente estadual se adequou integralmente ao disposto na Lei n. 11.977/2009 e na atual Portaria nº 163/2016 do Ministério das Cidades, em especial aos princípios constitucionais da publicidade, legalidade, impessoalidade e moralidade;

Além disso, Caixa e Banco do Brasil deverão realizar, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, auditoria completa em todos os selecionados indicados pela SEHAB para o PMCMV, a fim de identificar eventuais violações às diretrizes que regem o Programa, bem como ao processo de seleção de seus beneficiários, previstos nas Portarias n. 140/2010, 610/2011 e 595/2013 do Ministério das Cidades, vigentes quando da contratação de empreendimentos habitacionais do PMCMV no estado do Acre, encaminhando o resultado final a o MPF/AC, para a adoção das providências cabíveis.


Todos os órgãos e instituições destinatários das recomendações foram alertados para a possibilidade da adoção das medidas extrajudiciais e judiciais cabíveis na hipótese de não acolhimento dos itens recomendados.

Assessoria

Jorge Viana discute com Ministro do Turismo pagamento das obras do Shopping Popular.

Obra que já está em execução na capital acreana deve ser prioridade, independente de partido de governo, destacou o parlamentar

O senador Jorge Viana se reuniu na tarde desta quinta-feira (14) com o ministro interino do Turismo, Alberto Alves, para tratar do cronograma de pagamento das obras do Shopping Popular de Rio Branco. O senador cobrou que o ministério adote uma regularidade na liberação dos recursos para que a prefeitura possa dar continuidade ao trabalho e não ocorram novas suspensões do serviço.

“Essa é uma obra que já está em execução, começou sendo executada ainda no governo da presidente Dilma Rousseff, sempre com muita atenção e prioridade, e não pode ser interrompida. Os trabalhadores das empresas que executam as obras e também as famílias que serão atendidas pelo novo espaço estão na expectativa”, defendeu Viana.

O ministro garantiu que obras que já estão em andamento serão tratadas com prioridade e disse que, mesmo com a crise econômica, o ministério manterá o acordo para conclusão do Shopping Popular. No final de junho deste ano, após cobranças do senador e do prefeito Marcus Alexandre, o governo federal liberou o pagamento de mais de R$ 900 mil para as obras já executadas, e também empenhou mais uma parcela no valor de R$ 1 milhão para continuidade do trabalho.

O Shopping Popular de Rio Branco é uma antiga aspiração dos pequenos comerciantes, camelôs e feirantes do Calçadão da Benjamim Constant. Trata-se de uma obra R$17,3 milhões cujo projeto abriga mais de 450 boxes divididos em três andares, construído ao lado do Terminal Urbano. O empreendimento está sendo erguido numa área de mais de 12 mil metros quadrados.


“É uma obra que vai atender muitas famílias de Rio Branco, pequenos comerciantes, que merecem um espaço de qualidade para trabalhar, além de ajudar a receber melhor aqueles que vêm nos visitar. Vou continuar trabalhando para dar todo meu apoio a esse projeto, liderado pelo Marcus Alexandre, de forma suprapartidária”, destacou o parlamentar. 

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Hemoacre precisa urgente de doação de sangue para seguir salvando vidas.

A direção do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre) faz um chamamento aos doadores de tipagem sanguínea negativa (A-,B-, AB- ou O-) para que compareçam ao Hemocentro de Rio Branco e doem sangue.

“Os estoques de sangue dos tipos negativos estão baixos, por isso precisamos da sua doação para seguir salvando vidas. Ressaltamos que uma única doação de sangue pode salvar até três vidas”, explica a gerente de Assistência do Hemoacre, Elba Luzia

A participação da população na doação é fundamental para a manutenção dos estoques, buscando evitar que a demanda por bolsas de sangue seja maior que a reposição.

A doação de sangue é um ato voluntário e também de responsabilidade social. O objetivo da manutenção do estoque é garantir o atendimento hospitalar aos pacientes nas unidades de saúde do estado, principalmente no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), onde os pedidos de sangue são sempre em caráter de urgência pela característica do hospital, que atende vítimas de traumas, como acidentes de trânsito, por exemplo.

Quem ainda não é doador de sangue pode comparecer ao hemocentro e realizar uma avaliação. O Hemoacre está localizado na Avenida Getúlio Vargas, 2.787, em Rio Branco. O horário de funcionamento é das 7h15 às 17h40, de segunda a sábado.

Elba Luzia ressalta que estão aptas a doar sangue pessoas na faixa etária de 16 a 69 anos, com peso mínimo de 50 quilos. “Não precisa estar em jejum, mas é importante que o doador evite uma alimentação gordurosa por pelo menos quatro horas antes da doação. Também é muito importante que o doador tenha consigo um documento de identidade original com foto para apresentar a nossa equipe”, frisa a gerente.


 Assessoria

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Petecão garante recurso para reconstrução de ruas em Rio Branco.

A verba, que totaliza de quase R$ 3 milhões, será aplicada em obras para recuperação de ruas atingidas pela alagação ocorrida no ano passado. Rio Brando deverá receber nos próximos dias a primeira parcela do convênio equivalente a 30% do valor total. 
O senador Sérgio Petecão (PSD) se reuniu, nessa terça-feira (12), com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, onde foi realizado o anúncio do pagamento de R$ 995 mil para a reconstrução de ruas e rede de drenagens de Rio Branco danificadas na alagação de 2015. A reunião contou também com a participação do deputado Flaviano Melo (PMDB).
O senador afirmou que o recurso — ainda que esteja indo tarde — será importante para reparar os danos provocados na infraestrutura da cidade. “A verba esteve presa no ministério durante o governo da presidente Dilma Rousseff e, desde então, considerei a demora no pagamento uma grande falta de sensibilidade com os acreanos que sofreram com a enchente. Felizmente, conseguimos garantir a liberação da primeira parcela do convênio que representa um importante adianto”, disse.
Petecão disse ainda que ao todo a capital acreana receberá mais de R$ 3 milhões (R$ 3.317.532,51) do Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil para as obras de recuperação. 

Assessoria

Atletas do Jordão realizam sonho de competir no Mundial de Jiu-Jítsu.


Kezio, Cleito e Kinei viajam na madrugada desta terça-feira, 12, para São Paulo.
Os atletas acreanos Kezio Araújo, 24 anos, Cleito Saraiva, 26, e Franquinei Araújo, de 27, realizam o sonho de participar do Campeonato Mundial de Jiu-Jítsu, realizado pela Confederação Brasileira de Jiu-jítsu Esportivo (CBJJE), entre os dias 13 a 17 de julho, em São Paulo. Os competidores são naturais do Jordão, município localizado no interior do Acre.
Franquinei Araújo competirá na categoria meio pesado
O faixa roxa Franquinei Araújo, que competirá na categoria meio pesado conta que o trio pratica a arte suave há mais de nove anos, onde já conquistaram várias medalhas de ouro. Ele é instrutor do projeto Futuros Campeões, que oferece aulas gratuitas de jiu-jítsu para mais de setenta pessoas da comunidade. Quando refere-se ao evento o competidor demonstra confiança. “Não tenho expectativa. Expectativa é para quem não treina. Eu treinei bastante e estou preparado para esse momento. Eu vou para ganhar”.
Cleito Saraiva, faixa azul, categoria super pesado
Cleito Saraiva acredita que a participação no mundial inspira os alunos do projeto. “Participar do mundial já é uma vitória. Mas, não nos contentaremos apenas com a participação. Queremos trazer um resultado positivo. Queremos representar bem o nosso estado e, principalmente, o nosso município. Vamos ser vitoriosos e mostrar que é possível vencer mesmo com as adversidades”, destaca.
Kezio Araújo também é faixa roxa e competirá na categoria super pesado.
Agradecimentos: Governador Tião Viana; Gabinete do deputado federal Léo de Brito; Gabinete do deputado estadual Ney Amorim; Gabinete do Deputado Estadual Jesus Sérgio; Empresários Marcel Rither, Raimundo Fortunato e Simão; Secretário Raimundo Vieira.
Blog Fala Jordão

sábado, 2 de julho de 2016

São Paulo - A crença na bruxaria dificulta a confiança social e até a economia acaba sendo prejudicada.


Essa é a conclusão de um estudo de Boris Gershman, da American University em Washington DC, publicado recentemente no Journal of Development Economics. Ele utilizou dados de uma pesquisa de opinião feita em 2008 e 2009 pelo centro Pew em 19 países da África subsaariana sobre crenças e atitudes religiosas e temas políticos e sociais.

Na média, 57% acreditam em bruxaria, mas o número chega a 96% em lugares como Tanzânia, e as taxas estão fortemente correlacionado com o nível de confiança social. Essa relação continua estatisticamente significativa mesmo quando se controla por outros fatores (demográficos, históricos, climáticos, étnicos e outros) que poderiam influenciar o resultado.

"A crença na bruxaria pode ter um efeito adverso direto na confiança interpessoal e cooperação através de dois grandes canais: ao cultivar o medo de serem enfeitiçados e espalhar o medo de acusações de bruxaria", diz Gershman. E como a cooperação é extremamente importante para coisas como o comércio e projetos coletivos, isso acaba tendo consequências para a economia como um todo.

Gershman já havia investigado a relação entre desigualdade e olho gordo. Em entrevista para EXAME.com, ele explica seu novo estudo:
EXAME.com - Quais são os mecanimos que conectam a bruxaria com a economia? Boris Gershman - Na medida que a crença na bruxaria erode as relações cooperativas na sociedade, também contribuem para a redução da atividade econômica. 

Alguém que acredita na bruxaria teria mais cuidado e menos confiança nos outros já que alguns deles podem ter a habilidade de causar dano de formas sobrenaturais. Pessoas em comunidades onde essa crença é disseminada tenderão a evitar interações sociais e se engajar em projetos cooperativos, já que poderão ser acusados de bruxaria se algo der errado e as consequências disso podem ser severas, de destruição de propriedade até mesmo morte.

Mas então como enfraquecer esse tipo de crença e erosão da confiança?
Gershman - Tem uma parte da literatura que mostra que valores, atitudes e crenças tendem a persistir ao longo do tempo. No entanto, também há exemplos de mudanças rápidas em certos aspectos da cultura. Uma forma de contribuir para essa mudança é através da promoção de uma visão de mundo racional através da educação e da implementação de programas pontuais que expliquem as causas naturais de infortúnios como doenças e desastres naturais.
Além disso, a provisão de oportunidades econômicas igualitárias para todos os membros da comunidade e proteção dos mais vulneráveis também ajudaria a reduzir a ansiedade social e prevenir situações onde acusações mútuas emergem, aliviando medos relacionados a bruxaria.

MSN/Brasil


quinta-feira, 16 de junho de 2016

ICMBio e Asareat visitarão comunidades com acompanhamento de Consultor do BIRD.

Na manhã desta quinta-feira (16), a gestora da Resex do Alto Tarauacá Léia Silva e o presidente da Asareat João Bráz, estarão descendo o Rio Tarauacá com suas equipes onde estarão apresentando aos moradores as alterações do Acordo de Gestão da Unidade (instrumente que ajuda na gestão da unidade), que vem sendo trabalhado conjuntamente com os moradores a mais ou menos seis anos atrás.

Desta vez, o documento passou por mudanças e deve ser levado ás comunidades para que tomem conhecimento das tais alterações feitas pelo conselho deliberativo da Resex.

Também estar fazendo parte da Equipe um consultor do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), com intuito de trabalhar na elaboração de um Plano de Gestão que venha financiar através da Asareat, a exploração, beneficiamento e comercialização de produtos da floresta como óleo do Cocão, carvão de coco, óleo de copaíba entre outros produtos.

Esta é sem dúvida, mais uma possibilidade de alternativa de renda as famílias que lá vivem, caso der certo. Com isso, contamos com ajuda de nossos políticos locais para que, ao invés de levar para as comunidades uma bola e troféu, leve um projeto de alternativa de renda para que essas pessoas se liberte social e economicamente.


A Asareat precisa apenas de ajuda de pessoas capacitadas para elaboração dos projetos. Para se ter uma ideia, já rodam pela Asareat cerca de 3,5 milhões de reais em projetos que podem não dar certo por falta de apoio. Enquanto isso, nossos políticos se aventuram pelas barrancas dos rios sem nenhuma alternativa mais concreta para nossos extrativistas. VAMOS NOS UNIR, E TRABALHAR PELO POVO.

Algumas imagens do nosso trabalho














Estudante indígenas é escolhida pra carregar tocha Olímpica no Acre.

Estudante de biologia da Ufac, Alana Manchineri, de 25 anos, é uma das condutores da Chama Olímpica em Rio Branco (AC) e prepara manifestação contra PEC 215

Os povos da floresta serão representados pela estudante Alana Keline Costa Silva Manchineri, 25 anos, quando o Revezamento da Tocha Olímpica passar por Rio Branco, capital do Acre, na terça-feira (21). Ela, que é do Povo Manchineri, do município de Assis Brasil, a 342km da capital, cursa biologia na Universidade Federal do Acre (Ufac) desde 2010 e é articuladora da Comissão Nacional da Juventude Indígena.

Alana foi uma das 10 pessoas indicadas pela Prefeitura de Rio Branco para carregar a Chama Olímpica. Os outros condutores foram escolhidos por patrocinados oficiais do evento por meio de promoções. Ao todo, serão 120 condutores num percurso de 24km.

Como jovem, indígena, aceitei o convite. Vou representar os povos indígenas, o respeito à diversidade. Hoje, no Acre, existem pessoas qure não conhecem os povos indígenas do estado e precisamos divulgar a nossa cultura. Mostrar que somos indígenas contemporâneos, que podemos carregar a Tocha Olímpica e também podemos nos manifestar - comentou Alana.

A estudante também prepara uma manifestação a favor dos povos indígenas, que são contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC 215). Atualmente, a Fundação Nacional do Índio (Funai), o Ministério da Justiça e a Presidência da República tomam a decisão sobre a demarcação das terras indígenas.

- Minha intenção, durante o percurso da Tocha, é, após passar a Chama, carregar um cartaz dizendo não à PEC 215, que é um projeto que visa transferir do poder executivo para o legislativo (Congresso Nacional) a demarcação de terras indígenas. No momento, é uma das pautas reivindicadas pelo movimento indígena nacional para que isso não aconteça - concluiu.
                                                      

Jovem larga vida em São Paulo após encontrar noiva do AC em site cristão.

'Quando o vi no avião tinha certeza que queria casar com ele', diz jovem. Casamento ocorreu em Rio Branco em maio de 2015.

Um site de relacionamento, uma distância de 3.571 Km, encontros durante escalas em aeroportos e, enfim, o casamento. O romance, que mais parece um roteiro de filme, é a história dos estudantes Larissa Bastos, de 26 anos, e Carlos Augusto, de 25. No início de 2012, enquanto estava online em um site de relacionamento religioso chamado "Amor em Cristo", o paulista Augusto puxou papo com Larissa, trocaram contatos de Facebook e iniciaram uma amizade à distância.

"Eu tinha feito meu cadastro no site há muito tempo. No dia, estava mostrando o site para um amigo meu e ele veio falar comigo. Iniciamos, então, uma amizade porque ele queria saber como eram as opções de estudo no Acre. Viramos, inicialmente, confidentes", revela a jovem.

Larissa é mineira, mas mora no Acre desde 1999. Ela diz que não tinha pretensão de encontrar um par perfeito, mas sim, queria conhecer pessoas novas e iniciar amizades. "Eu queria conversar, mas outros sites têm um perfil mais pesado, então optei por um site cristão. Tanto que no início comecei a tratá-lo como amigo", relembra.

Foram nove meses conversando pela internet e também por telefone. O contato iniciava logo pela manhã e se estendia durante todo o dia. Somente em novembro, Augusto resolveu sair de São Paulo para conhecer a namorada. "Fiquei muito tenso. Era a primeira vez que eu pegava avião e que também saía de São Paulo. Então, tudo era novidade. Estávamos muito nervosos", conta.

Já Larissa, fez pesquisas em órgãos públicos para checar a ficha do parceiro. Hoje, ela conta animada que tomou todas as precauções antes de concordar encontrá-lo pessoalmente. O primeiro encontro, segundo o casal, foi um misto de felicidade, amor e também sutileza.
"Ele foi o último a sair do avião, meu amigo que tinha ido ao aeroporto comigo começou a dizer que ele não tinha vindo e que eu havia feito papel de besta. Mas, quando eu o vi descendo do avião, tinha certeza que casaria com ele", enfatiza com uma troca de olhares com o parceiro.

Devido à rotina, Augusto conseguiu passar apenas dois dias na capital acreana ao lado da amada. Larissa não facilitou e garante que no primeiro encontro não houve, sequer, troca de beijos. "Eu estava analisando tudo", argumenta.
Já no segundo encontro, poucos meses após o primeiro, o namoro estava consolidado. Os dois assumiram o amor que sentiam um pelo outro e começaram uma luta contra o tempo e a distância para poderem partilhar da companhia um do outro.



G1.com

Alan Rick propõe medidas rígidas para a legislação que trata da segurança das barragens no país.

Desastres com rompimento de barragens são frequentes no Brasil, especialmente com aquelas destinadas ao acúmulo de rejeitos. 

Com o objetivo de aperfeiçoar a legislação que propõe a fiscalização das barragens pelos órgãos públicos, o deputado federal Alan Rick (PRB) apresentou parecer favorável aos Projetos que tratam da Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB), na forma de um substitutivo que altera a atual legislação – Lei nº 12.334/10, para que seja incluído o Plano de Ação de Emergência (PAE).

“O Brasil registrou o desastre da barragem de Mariana/MG e que trouxe severos impactos. Mas infelizmente já ocorreram centenas de desastres com prejuízos irreparáveis aos ecossistemas naturais, e os impactos ainda estão ocorrendo. Se houvesse mais cautela e melhor fiscalização por parte dos órgãos públicos, essa tragédia teria sido evitada. E o que proponho é isso, criar condições mais rigorosas”, explica Alan.

Foram encaminhados para o parecer do vice-presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), Alan Rick, dois projetos. O PL nº3.775/15, do deputado Arnaldo Jordy (PPS/PA), que propõe aprimorar os requisitos de elaboração e os critérios para implantação do PAE; e o PL nº 4.287/16, apresentado pela Comissão Externa destinada a acompanhar e monitorar os desdobramentos do desastre ambiental, ocorrido em Mariana – MG e região. E nesta quarta-feira (15) a CINDRA aprovou por unanimidade o substitutivo do parlamentar.

“Segui orientações feitas por representantes do Ministério Público. Atualmente a fiscalização está baseada principalmente na análise documental. Porém, entendo que a vistoria deve abranger avaliação de indicadores que comprovem a segurança da estrutura, conforme definido em regulamento e minhas ressalvas adicionadas à matéria são referentes à avaliação desses indicadores de segurança de barragens, conforme o regulamento”, observa Alan Rick.

“A segurança das barragens de rejeitos tem sido objeto de intensa preocupação no Brasil após o desastre de Mariana, o meu projeto foi acolhido pelo deputado Alan e ele fez um substitutivo incluindo alguns aspectos que o debate sugeriu. Com isso fiquei muito grato, porque ele aperfeiçoou as ideias colocadas no conteúdo da minha matéria, e ainda foi aprovado por todos da Comissão”, explica Arnaldo Jordy, autor de um dos PLs.

Desastres com rompimento de barragens são frequentes no Brasil, especialmente com aquelas destinadas ao acúmulo de rejeitos. De acordo com o Professor Aloysio Portugal Saliba, do Departamento de Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos da UFMG, que proferiu palestra em audiência pública da Comissão Externa sobre o Rompimento da Barragem de Mariana, as barragens de rejeito da mineração são construídas e, muitas vezes, alteradas ao longo de toda a operação, o que faz com que o controle sobre elas tenha que ser mais rigoroso.

Agora a matéria segue para a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS), Minas e Energia (CME), Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) e em seguida para o plenário.


Mazinho diz que só faz aliança com o PSDB em Sena se os tucanos aceitarem o cargo de vice.

Mazinho afirmou ainda que o PMDB fechou aliança com o Partido Progressista (PP) e aguarda adesões de novas siglas nos próximos dias.

Em Sena Madureira os partidos da oposição continuam caminhando em sentidos contrários. Em entrevista à ContilNet nesta terça-feira (14), o presidente da executiva municipal do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) de Sena Madureira, Mazinho Serafim, garante que sua pré-candidatura a prefeitura de Sena está mantida, independente de quantos outros candidatos a oposição lance, e questionou a suposta supremacia tucana naquela cidade que, segundo ele, “sempre reivindica a cabeça das chapas majoritárias e ainda quer apoio nas proporcionais”.

Falando de forma direta, Mazinho afirmou que até aceita conversar com as lideranças do PSDB, desde os tucanos aceitem o cargo de vice.
“Se a oposição quer ter múltiplas candidaturas que tenha, mas eu não abro mão da minha pré-candidatura em hipótese alguma. Já estamos com sete candidaturas seguidas do PSDB. Uma hora para prefeito, outra hora para deputado federal, uma para estadual, depois para prefeito de novo.Quando é que outra pessoa poderá ser candidato em Sena Madureira. só quando o candidato deles, do PSDB, morrer? Se deixarem, na próxima eleição o PSDB terá candidatura novamente e ainda será o mesmo candidato”, afirmou referindo-se a Toinha Viera que foi prefeita de Sena Madureira por dois mandatos e já disputou diversos pleitos.

Mazinho afirmou ainda que o PMDB fechou aliança com o Partido Progressista (PP) e aguarda adesões de novas siglas nos próximos dias. “Nós fechamos uma aliança com o PP, do deputado Ghelen Diniz e será de lá que vem o nosso vice. Estamos firmes com nosso projeto”, diz.
O pemedebista encerrou a entrevista negando que tenha cogitado aliança com o atual prefeito, Mano Rufino. “Saiu uma noticia que dizia isso, mas não é verdade. Jamais apoiaria alguém que integra a Frente Popular. Foi da Frente Popular não conte com meu apoio”, avisa.


 Contilnet.com

Polícia encontra corpo de menino arrastado por jacaré na Disney

Corpo foi encontrado intacto por mergulhadores irá para identificação formal. Criança de 2 anos brincava em lago quando foi arrastada por animal.

A polícia encontrou nesta quarta-feira (15) o corpo do garoto de dois anos de idade que foi arrastado na noite de terça-feira por um aligátor (jacaré americano) no lago de um resort da Walt Disney World, no estado da Flórida (EUA).

O chefe da polícia do condado de Orange, Jerry Demings, disse que o corpo foi encontrado intacto na água por mergulhadores e que agora irá para necropsia e identificação formal, mas que não há razões para pensar que não seja do garoto.

Com uso de barcos e helicóptero, a polícia procurou ao longo do dia pelo menino que foi atacado pelo réptil no Seven Seas Lagoon, no hotel Disney's Grand Floridian Resort and Spa, em Lake Buena Vista. Ele estava brincando na água enquanto sua família, que mora no Nebraska, estava na beira do lago, disse o xerife Demings.

"O pai entrou na água e tentou agarrar a criança e não teve sucesso", afirmou Demings, acrescentando que a mãe também tentou resgatar o menino. O pai sofreu ferimentos na mão durante a tentativa de salvar o filho.

"Como um pai, como um avô, vamos esperar pelo melhor nestas circunstâncias, mas, com base nos meus 35 anos de experiência no cumprimento da lei, sabemos que teremos alguns desafios", disse Demings.

Ele disse que o animal possivelmente tem cerca de 1,2 a 2 metros de comprimento. "Todos aqui no Walt Disney World Resort estão devastados por este acidente trágico. Nossos pensamentos estão com a família e estamos ajudando a família", disse uma porta-voz.


 G1.com

Bombeiros tentam há mais de 9 horas retirar 3 pessoas soterradas em igreja.

Os bombeiros trabalham desde o meio da tarde desta quarta-feira (15) para retirar três pessoas que ficaram soterradas no desabamento de um prédio onde funciona uma igreja evangélica Assembléia de Deus. Duas pessoas já foram localizadas e receberam oxigênio e uma terceira pessoa ainda não foi encontrada.

A prefeitura de Diadema diz que o prédio estava em reforma, mas não tinha alvará para a obra. Segundo testemunhas, de 10 a 15 pessoas participavam de um culto evangélico no momento do acidente.

De acordo com o tenente-coronel dos Bombeiros Nauheimer, os fiéis que se feriram participavam de um culto de libertação quando o teto despencou.

Ao todo, quatro pessoas foram socorridas: três crianças e um adulto. Três delas receberam ajuda de vizinhos e outras duas, dos bombeiros (sendo que uma das crianças foi levada ao pronto-socorro do Hospital Estadual de Diadema). Às 17h, outras duas vítimas já haviam sido visualizadas com vida e aguardavam resgate.

Em nota, a Prefeitura de Diadema afirmou que "o prédio estava em reforma, porém sem autorização da Prefeitura". Segundo o comunicado, "a Secretaria de Habitação notificou o espaço em 13 de junho e solicitou apresentação de alvará de aprovação e execução da obra. A orientação foi paralisar a obra até a apresentação dos documentos".

O advogado da Assembleia de Deus, Kaique Nicolau de Lima, afirmou que a obra estava parada "há mais de 15 dias". "É uma igreja antiga, com mais de 60 anos. A documentação estava sendo agilizada junto à Prefeitura”, disse.


Segundo os bombeiros, o desabamento ocorreu por volta das 15h30, quando algumas pessoas participavam de um culto. Às 19h, 20 veículos da corporação, com 70 profissionais ao todo, atendiam a ocorrência. Eles recebiam apoio da Defesa Civil e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

G1.com

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Jorge Viana debate mudanças no novo Marco da Ciência e Tecnologia.

Senador apresentou projeto para restabelecer vetos aprovados no Senado e nesta sexta-feira promove um debate sobre o tema no Acre

O senador Jorge Viana promove nesta sexta-feira (02), um encontro na Biblioteca da Floresta, a partir das 15 horas, para discutir com a comunidade científica e pesquisadores do Acre as mudanças e perspectivas para a Ciência e Tecnologia no Brasil. O senador, que foi relator do projeto do novo Marco da Ciência, Tecnologia e Inovação, criticou da tribuna os vetos do Congresso Nacional aprovados nesta semana e que, segundo ele, tiram importantes conquistas do setor.

De acordo com o parlamentar, a nova legislação havia sido amplamente discutida com representantes da área, envolvendo dirigentes da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Academia Brasileira de Ciência (ABC), a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), entre outros.

“A comunidade científica, as universidades, os centros de pesquisa começaram a se reunir e fizeram mais de 200 reuniões. Elaboraram um projeto de maneira suprapartidária. Mas, o governo federal fez oito vetos, entre eles o que oferece bolsas para estudantes. Isso não é custo, é investimento”, destacou o parlamentar.

Para tentar resgatar essas conquistas, o senador Jorge Viana apresentou o Projeto de Lei do Senado 226/2016, que repõe as conquistas retiradas com os vetos. “Estou certo de que, com isso, vamos fazer esse ajuste de rumo na legislação. É a esperança que tenho, mas para isso temos que trabalhar”, declarou.

O novo projeto será apresentado durante o encontro realizado no Acre que vai envolver representantes da Embrapa, das universidades, da Fundação de Tecnologia (Funtac), da Fundação de Amparo à Pesquisa, Secretaria de Ciência e Tecnologia do Acre e outras.

Ministério – Outra crítica do senador foi a fusão do ministério de Ciência e Tecnologia com o de Comunicação, promovida pelo governo de Michel Temer. “Nenhum país do mundo faz isso. Não é possível que a gente vá agora interromper esse caminho que estava colocando o Brasil em uma posição de destaque no mundo, saímos de menos de 1% da produção científica mundial para acima de 2,5% porque apostamos na comunidade científica, apostamos na ciência e tecnologia. É por isso que aqui eu faço um apelo. Eu acho que a diminuição de ministérios é importante, mas não podemos tirar um segmento que é estratégico para o País”.

Na próxima terça-feira (07), a Comissão de Ciência, Tecnologia e Inovação do Senado vai promover uma audiência pública com a presença do ministro das Comunicações, Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab. A audiência atende a um requerimento do senador Jorge Viana.


“Se o Brasil quiser se firmar como uma grande nação no século XXI, tem que ter a ciência, a tecnologia e a inovação como aliados, isso tem estar estabelecido dentro da estrutura do Estado brasileiro”, defende Viana. 

sábado, 28 de maio de 2016

Asareat através do Governo do Estado implantará o PDSA voltado para fruticultura em Jordão.

A Associação dos Seringueiros e Agricultores da Reserva Extrativista do Alto Tarauacá – ASAREAT, através do Governo do Estado, por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre –PDSA, está elaborando em parceria com a Seaprof e Sebrae, um projeto de fruticultura voltado para 90 produtores que despertaram interesse.

Cada produtor receberá uma certa quantia de mudas das seguintes espécies frutíferas: Acerola, graviola, açaí e maracujá. O valor total do projeto será determinado pelo número de pessoas inscritas, o que significa em torno de 2 milhões de reais. Desse valor estar incluso a construção de uma mini indústria de beneficiamento da polca dessas frutas para, caso necessite, escoar para outros municípios. Além da indústria de beneficiamento o projeto ainda custeará a aquisição de barcos, maquinas e um kit para cada produtor que deverá ser composto por: uma roçadeira sthil, botas, luvas, carro de mão, pulverizador, ciscador, adubo, enxada, boca de lobo entre outros.

O presidente da Asareat também incluiu alguns moradores de fora da área de atuação da Instituição, como o seringal São João, pois é a única associação no município que encontra-se apta a fazer projeto e quer que o Jordão se torne um município produtivo. A ASAREAT, neste caso, abriu as portas para dar oportunidade aos moradores dessa importante área que é o seringal são João. Resta agora, os moradores dar o devido reconhecimento a instituição.

A Associação ainda contratará um técnico do município para, junto com os técnicos da Seaprof, dar a devida atenção os produtores. Lembrando que o produtor não pagará nenhum valor pelo recurso, mas, ficará com a responsabilidade de executará toda a mão de obra, caso contrário irá devolver o recurso ao banco.  


terça-feira, 24 de maio de 2016

Asareat visita Flona Tapajó e conhece práticas inovadoras de trabalhos com recursos naturais.

Rio Tapajós na comunidade Jamaraquá
Depois de 7 dias de visita a Floresta Nacional do Rio Tapajós-Flona Tapajós em Santarém –PA, Eu João Bráz e Orlei, voltamos para o município de Jordão com muitas ideias de iniciativas inovadores voltadas para o público rural extrativista com objetivo de melhorar a vida das 200 famílias que vivem na Resex do Alto Tarauacá e hoje vive basicamente de programas sociais e da Agricultura de subsistência.

A FLONA TAPAJPOS

A Floresta Nacional do Rio Tapajós é uma área de conservação federal criada ainda nos anos 70. Na época o governo queria retirar do local centenas de famílias que lá viviam. Hoje essas famílias conquistaram o direito de permanecer no local onde nasceram e vivem de programas Sociais, turismo, extrativismo e manejo madeireiro.

Eu e dona Conce-Dona de pensão
Hoje, as centenas de famílias que lá vivem acreditam que com a homologação da área em área federal trouxe ao povo muito mais benefícios que antes, pois seus filhos e netos terão um local para viver em harmonia com a natureza.

A ALEGRIA DE VIVER NA FLONA

Um exemplo é Conceição, (Dona Conce), moradora da comunidade Jamaraquá que é proprietária de uma pensão muito famosa na região e uma das várias pessoas que nasceram no local e que também enfrentou a luta pra defender o direito de continuar na terra que antes pertencia aos seringalistas e agora era de todos.

Hoje, essas famílias sabem o quanto é valioso aquele lugar porque foi conquistado com muito esforço.

O ARTESANATO
Artesanato de látex

O artesanato do látex é o que predomina na comunidade. Seu Zezinho o responsável pela Mini-indústria dar o tom e as informações aos visitantes. Na loja de produtos você encontra colares, brincos, chaveiros, posseiras, bolsas, tudo feito com leite da seringa.

Na comunidade são Domingos há também uma produção de artesanato vem conquistando até o mercado exterior como Alemanha que compra sandálias e expõe em feiras no mundo inteiro.

O TURISMO QUE TRÁS O SUSTENTO

O turismo é, sem dúvida, a maior fonte de rende da região. Os barqueiros, Guias, donos de pousadas, restaurantes e artesãos, todos lucram com a presenças dos visitantes. Aos poucos, se percebe que aquele povo ama e é feliz no lugar onde vivem.    

   
Reunião na Comunidade Nazaré


Comunidade São Domingos Movelaria e Marchetaria